O músico João Gil é a prova de que não há idade para começar a ter mais preocupações com o planeta. No ano em que completa 46 anos de carreira, o artista aprendeu a separar melhor as suas embalagens e a ter mais cuidados com o ambiente. Em parceria com a Sociedade Ponto Verde (SPV), levou mais ecopontos para o coliseu e comprometeu-se a realizar um concerto carbono zero.

João Gil acaba de lançar o álbum “46 JG 22”. Mas este não é um disco qualquer. Abandonando a habitual caixa de plástico, este CD encontra-se à venda envolvido numa embalagem de papel reciclado.

Os cuidados ambientais em torno da área musical não ficaram por aqui e, juntamente com a SPV, o artista deu um concerto no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, em que uniu música portuguesa, convidados e sustentabilidade.

Entre diversas boas práticas, como a utilização de copos reutilizáveis nos bastidores, estiveram presentes mais ecopontos para garantir um maior e melhor encaminhamento de embalagens, tendo sido posto em prática um plano de ação para compensar as emissões de carbono do espetáculo.

Lançar um novo disco com uma premissa mais sustentável e produzir um espetáculo mais amigo do ambiente motivaram o músico a melhorar as suas práticas ecológicas. Conheça aqui como o músico começou a reciclar.

Utilizando a voz, a letra e a musicalidade das suas canções, João Gil procura sensibilizar fãs, artistas e promotores de espetáculos para boas práticas ambientais. O seu concerto no Coliseu foi tanto uma prova de que é possível reduzir o impacto das nossas ações como um alerta de que é necessário adotar comportamentos que ajudem a preservar o planeta.