Está a preparar as férias de verão? Procura uns dias de paz e de plena comunhão com a natureza? A Reserva Alecrim pode ser aquilo que procura. Instalado em Santiago do Cacém, no Alentejo, este eco resort propõe-lhe uma estadia de glamping cheia de sustentabilidade.

Encontra-se entre a Comporta e a Costa Vicentina. Aqui a ruralidade traz-nos um cheirinho a Alentejo.  Ao longo dos 28 hectares totalmente preservados para que a fauna e a flora locais pudessem coabitar com a propriedade, há diversos tipos de alojamento, para diferentes experiências.

Entre sobreiros, oliveiras, pinheiros e, claro, muito alecrim, há tendas safari, eco houses, eco suites, casas de campo e domes – pequenas habitações em esfera, umas sobre plataformas a alguns metros de altura, outras mais alto e perto da copa das árvores.

Os cuidados ambientais tomados desde a construção até à utilização pelos hóspedes são diversos. A RECICLA conversou com o business developer do espaço, Pedro Guerreiro, que explicou tudo o que há a saber sobre sustentabilidade nesta reserva.

Da construção à estadia, aqui há cuidados ambientais

“A preocupação foi, desde sempre, a construção sustentável e a utilização de material reciclado”, começa por dizer Pedro Guerreiro.

Assim, “95% dos alojamentos são construídos sobre plataformas de madeira, ou seja, não há desgaste nem escavação do solo”. Esta característica faz com que a construção não seja intrusiva para a fauna e flora locais, e, além disso, confere aos hóspedes uma vista ainda mais ampla sobre a paisagem.

Reserva Alecrim_cuidados ambientais
Plataformas de madeira que elevam os domes

Com um recurso significativo a materiais de madeira, o desgaste leva por vezes à necessidade de substituição. Mas, a madeira que já não pode ser utilizada é reaproveitada e reciclada, continuando a fazer parte da reserva sob a forma de caixas de madeira, passadiços ou cadeiras.

Além da construção sustentável, os alojamentos são cobertos com painéis solares e a energia daí retirada é utilizada para aquecer a água. E a água utilizada nas habitações é posteriormente tratada e reaproveitada para rega. 

Reciclagem, sempre!

Depois do check-in, os hóspedes são acompanhados até aos seus alojamentos através de veículos 100% elétricos. Em todo o recinto, os visitantes vão encontrar sinalética a relembrar o cuidado para não fazer lume, assim como muitos ecopontos, para que nenhuma embalagem escape.

Reserva Alecrim_cuidados ambientais
Veículos elétricos que levam os hóspedes

Quer se opte por ficar no dome, na tenda safari, numa eco house ou numa eco suite, todos os alojamentos possuem espaço para se fazer a separação das embalagens.

Quer esteja na habitação ou no exterior, fazer lume é proibido e fumar é desaconselhado. O objetivo é diminuir ao mínimo o risco de incêndio, bem como o de poluição do solo, com beatas indevidamente descartadas no chão.

Cuidados ambientais na cozinha e à mesa

A Reserva Alecrim tem dois espaços de restauração, o Country Pizza Bar, que serve refeições para almoço e jantar, junto à piscina biológica, e Restaurante Foggo, para almoços e jantares de barbecue ao ar livre, perto de uma das lagoas.

Tanto num espaço como noutro, os cuidados ambientais estendem-se da cozinha aos pratos dos clientes. “A maior parte do que é servido, quer nos pequenos almoços quer mesmo nos restaurantes da reserva, são produtos comprados a produtores locais. Temos muitos produtos de origem biológica e dos pequenos produtores que temos à nossa volta”, refere Pedro Guerreiro.

“Há muita atenção por parte dos chefs na escolha das cartas. Tentamos trabalhar com base na oferta dos produtos locais, sobretudo das ervas aromáticas”, acrescenta.

Em ambos os espaços de restauração, é possível encontrar umas caixinhas de madeira onde os proprietários deixam frutas excedentes das suas próprias hortas. Laranjas, maçãs, peras, entre outras frutas, ficam assim à disposição dos clientes para levar e comer mais tarde. Esta medida ajuda também a combater o desperdício alimentar, uma vez que, sendo um produto sazonal, se não for consumido no momento certo, acaba por se estragar.

E como reciclar na cozinha também é preciso, ao mato seco que se vai aparando e guardando juntam-se as cascas dos legumes e dos ovos para ajudar na compostagem e criar fertilizante natural para a vinha da propriedade.

Atividades de natureza para aproveitar a reserva

Descansar, aproveitar a vista e a calma da paisagem em volta é uma das propostas a não perder na Reserva Alecrim, mas, para quem gosta de atividades de natureza, há outros planos a acrescentar à lista.

A partir da reserva, pode dar início a um passeio a pé ou de BTT, fazer observação de aves, experimentar uma aula de ioga, fazer uma prova de vinhos, ir até à praia mais próxima ou descobrir os mercados e os produtos artesanais da região.

Se optar por ficar na reserva, aproveite para ir a banhos numa das lagoas ou mesmo na piscina biológica, um equipamento estruturado para não precisar de químicos na manutenção ou de grande intervenção humana e com um ecossistema próprio que filtra e trata a água. Se der um mergulho aqui, não se espante se encontrar rãs ou salamandras de água, entre outras espécies: afinal, é a casa delas e o seu trabalho é tratar da piscina.

Às preocupações ambientais juntam-se as sociais. O empreendimento procura dinamizar a região, gerando emprego e oportunidade de venda de produtos locais.

São todas estas características que fazem da Reserva Alecrim um espaço mais ecológico e a não perder.