“É só desta vez que não reciclo”, “não há nenhum ecoponto aqui perto”, “vai dar muito trabalho separar os resíduos todos” … Estas são algumas desculpas que se dão nas férias para não levar as embalagens aos ecopontos. Mas, não se deixe influenciar pelas desculpas. Separar os resíduos é importante, não tire férias da reciclagem. Quer saber porquê? Leia aqui.

Afinal, para quê reciclar? Porquê separar o plástico e o metal, o cartão e o vidro dos restantes resíduos?

O que acontece às embalagens que colocamos no lixo indiferenciado?

Os dados da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) dão conta de que só em 2020 cada português produziu em média 512 quilos de resíduos. No total, geraram-se cinco milhões de toneladas de resíduos ao longo do ano.

A APA concluiu ainda que 41% destes resíduos foram enviados para aterro. Quando o nosso lixo indiferenciado é levado para um aterro todos os resíduos que lá colocamos, sejam embalagens ou não, são depositados no mesmo sítio e lá permanecem até deixarem de existir.  

Embalagens de plástico, metal, cartão e vidro são materiais que se conseguem reaproveitar e reutilizar depois de reciclados. Mas, se forem colocados no lixo comum podem levar muito tempo até desaparecerem.

  • Estima-se que uma garrafa de plástico possa demorar até 450 anos a desvanecer-se;
  • Para uma garrafa de vidro, as previsões vão até um milhão de anos.
  • Se estivermos a falar de uma lata de refrigerante, esta pode demorar até 200 anos a deixar de existir.
  • O papel e o cartão têm uma decomposição mais rápida, de apenas 3 a 6 meses, mas a sua produção implica o corte de árvores e a utilização de milhões de litros de água.

(Fonte: Lipor)

Impactos da reciclagem das embalagens

Já ouviu de certeza que a reciclagem é importante, pois contribui para a economia circular ao reaproveitar recursos sem ter de extraí-los novamente da natureza. Até os mais velhos já conhecem esta mensagem, mas, se este argumento não é o suficiente para o convencer, repare nestes dados:

Sobre o plástico

Se reciclarmos cinco garrafas de plástico PET conseguimos produzir uma camisola tamanho XL. Já 10 garrafas de plástico PET recicladas permitem fazer um par de calças.

Ao utilizar plástico reciclado para novos produtos é possível poupar metade da água e gastar apenas um terço da energia para os produzir.

Sobre o vidro

O vidro é infinitamente reciclável. Por cada quilo de garrafas de vidro recicladas evita-se a extração de 1,2 quilos de recursos como areia, calcário e carbonato de sódio.

O correto encaminhamento de vidro para reciclagem permite reduzir a poluição da água e poupa os leitos dos rios de onde são retiradas as areias para fazer estes materiais.

(Fonte: CERV)

Sobre o aço e o alumínio

O aço e o alumínio reciclados dão origem a produtos como bicos de fogão e de esquentador, calhas de janelas e diversas peças automóveis. Mas há mais exemplos: para produzir uma bicicleta podem ser utilizadas 700 latas de alumínio.

Por cada tonelada de aço reciclado é possível evitar a extração de 1,5 toneladas de minério, assim como poupar, comparativamente à produção de raiz, 70% de energia e 40% de água.

Sobre o papel e cartão

Do papel reciclado cria-se papel higiénico, guardanapos, rolo de cozinha, caixas de ovos, sacos de papel, novas folhas para escrita ou para jornais.

Em média, ao longo da vida, cada pessoa poderia reciclar papel suficiente para produzir 85 mil caixas de ovos.

Uma tonelada de papel reciclado pode poupar o abate de 22 árvores, economizar 75% de energia elétrica e polui o ar 74%, quando comparado com o que é necessário para produzir papel virgem.

Não deixe para amanhã as embalagens que pode reciclar hoje. Afinal, todos podemos fazer a diferença e aumentar a quantidade de embalagens encaminhadas para a reciclagem.