A 5 de junho assinala-se o Dia Mundial do Ambiente. Se já aqui lhe demos algumas curiosidades sobre esta efeméride, desta vez apresentamos-lhe 10 gestos simples que pode implementar no seu dia a dia para diminuir as alterações climáticas, a perda de biodiversidade e a poluição.

O Dia Mundial do Ambiente assinala-se há 50 anos. Todos os anos há um país anfitrião, que recebe a missão de criar atividades em torno da temática escolhida, de forma a promover a mudança de escolhas individuais, de políticas públicas rumo a estilos de vida mais ecológicos e equilibrados com a natureza.

Em 2022, o anfitrião é a Suécia. E o tema volta a ser “Uma só Terra”, que já tinha inspirado as celebrações, na estreia, em 1972.

Meio século depois, o tópico é mais urgente do que nunca, pois a Terra é a nossa única casa. É preciso proteger os seres vivos e os recursos.

10 gestos simples que contribuem para diminuir as alterações climáticas, a poluição e a perda de biodiversidade:

  1. Separar as embalagens e colocá-las no ecoponto certo;
  2. Evitar o desperdício alimentar;
  3. Aproveitar os resíduos orgânicos para compostagem;
  4. Optar por produtos nacionais e, sobretudo, locais;
  5. Consumir mais frutas e legumes locais e da época e diminuir a quantidade de carne e peixe;
  6. Utilizar transportes públicos;
  7. Fazer mais deslocações a pé;
  8. Utilizar sacos reutilizáveis quando vai às compras;
  9. Evitar adquirir ou utilizar produtos de plástico de utilização única;
  10. Procurar produtos fabricados com mais preocupações ambientais.

Porque devemos dar atenção aos problemas do ambiente?

O relatório do programa da ONU para as questões ambientais, o PNUMA, aponta três principais problemas que o planeta enfrenta: alterações climáticas, perda de biodiversidade e poluição.

Sabia que a poluição mata precocemente cerca de nove milhões de pessoas por ano? E que em todo o planeta apenas 12% das cidades tem níveis de qualidade do ar que vão ao encontro dos padrões de qualidade estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde?

Desde 1990 que as emissões de gases de efeito de estufa só diminuíram em oito países em todo o mundo. Além disso, desde o final do século passado e até aos dias de hoje, na maioria dos países asiáticos estes valores aumentaram. Na Europa, nos Estados Unidos e no Japão os valores mantiveram-se praticamente inalteráveis.

Por outro lado, as perto de oito milhões de espécies que habitam o planeta, em que se incluem os seres humanos, estão a perder ecossistemas. Estas áreas geográficas onde coexistem espécies de seres vivos distintos formam-se e mantêm-se devido a um número chave de fatores.

Basta a destruição de um fator num ecossistema, por via das alterações climáticas, da poluição, ou apenas da ação humana, para conduzir ao desaparecimento da vida de uma ou várias espécies naquela zona.

É, por isso, muito importante criar áreas de proteção ambiental e chamar a atenção, tanto de locais como de turistas, para a necessidade de preservar e cuidar de espécies mais vulneráveis ou de ecossistemas mais frágeis.

O que podemos todos fazer para minimizar os impactos ambientais?

No relatório da ONU intitulado “Fazer as pazes com a natureza”, são apontadas algumas ações que podem conduzir a mundo mais sustentável. Para tal, é necessário:

  • A união e cooperação entre governos, empresas, sociedade, meios de comunicação, instituições de ensino e cidadãos individuais;
  • Considerar a natureza nas decisões políticas;
  • Incluir o custo ambiental no preço dos produtos;
  • Parar de subsidiar os combustíveis fósseis;
  • Investir em soluções mais ecológicas e apoiá-las;
  • Reduzir para metade a quantidade de CO2 emitida até 2030.

Segundo o mesmo plano, ao atingir estes objetivos torna-se possível alcançar vidas mais saudáveis, um clima mais estável e um ambiente ecologicamente diversificado. 

Ajudar o ambiente depende também de ações individuais

Está nas mãos de todos agir e procurar um futuro melhor e mais sustentável. Ações tão simples como fechar uma torneira enquanto escova os dentes ou apagar as luzes quando sai de uma divisão estão ao alcance de todos e – acredite! – fazem a diferença.

Não espere mais: comece já hoje a fazer a diferença.