Acabou de ser mãe, ou vai ser em breve, e não sabe como tornar a maternidade mais ecológica? Tem dúvidas sobre quais são os primeiros passos para cuidar de um bebé de forma sustentável? Para viver ou ajudar a tornar os primeiros meses de vida de uma criança mais circulares, a RECICLA deixa-lhe algumas sugestões.

Começar pela gravidez

Para ter um “eco baby” ou para tentar reduzir a pegada ambiental da maternidade, pode sempre começar por escolher roupa de grávida emprestada ou em segunda mão. Afinal, são peças que vai usar apenas por um pequeno período de tempo. Por isso, ajuda a sua carteira e o ambiente ao apostar na reutilização em vez de comprar novo.

Se estiver a pensar fazer uma festa ou um chá de bebé, não se esqueça de elaborar uma lista de como cada convidado pode contribuir. Evite que os seus amigos e familiares lhe ofereçam dezenas de utensílios, roupas ou brinquedos aos quais depois ninguém vai dar uso e porque não apostar em ofertas em segunda mão também?

Quando se fala em festas é importante também não esquecer que a forma mais sustentável de celebrar entre amigos e familiares a chegada de um bebé é com loiça, guardanapos e toalha reutilizáveis, decorações adaptáveis a novas festas e eventos e usando embalagens que no fim possam ir para o ecoponto.

Produtos para bebés

Falar em bebés sem referir chupetas e fraldas não é possível e é por isso que em Portugal há já diversas marcas a trabalhar para criar produtos “indispensáveis” como estes, mas mais ecológicos. 

Existem chupetas de diferentes tamanhos, formas e materiais. As consideradas mais ecológicas, por terem um menor impacto na forma como são produzidas, são as de borracha natural.

As fraldas descartáveis são dos produtos que mais pegada carbónica acrescentam à maternidade. Sabendo que, em média, um bebé precisa entre sete a oito fraldas por dia, pelo menos até aos 24 meses são necessárias 5670 fraldas.

Dados da Smart Medical Solutions dão conta de que são necessárias 5 árvores para fabricar 5500 fraldas descartáveis. O que significa que a pegada de cada criança até aos dois anos implica a utilização de mais de 5 árvores apenas para uso de fraldas. A juntar a este impacto somam-se a quantidade de água e energia utilizadas, assim como o dióxido de carbono libertado para a sua produção.

Fraldas reutilizáveis são a solução? São uma opção com menor impacto ambiental, sem dúvida. Segundo um estudo da Quercus, escolher as reutilizáveis ao invés das descartáveis permite poupar, em média, 1 tonelada de resíduos durante os primeiros dois anos do bebé.

A mesma organização ambiental encontra ainda mais quatro vantagens neste tipo de produto:

  • Podem ser lavadas na máquina juntamente com a restante roupa, (até 40º graus);
  • Secam facilmente ao ar, tal como a restante roupa;
  • Podem ser utilizadas até 800 vezes;

Roupa para bebés

Os bebés crescem rapidamente o que faz com que precisem com muita frequência de outras roupas. Para evitar estar sempre a comprar novo, são já vários os projetos e marcas que optam por vender, emprestar ou doar roupas de crianças em perfeitas condições para serem reutilizadas.

Já aqui lhe demos a conhecer a 100 etiqueta, uma loja online onde são criados conjuntos de roupa para crianças dos zero aos 24 meses. Serve tanto para poder escolher e adquirir como para doar.

Outra opção é procurar junto de familiares ou amigos roupas que possam servir também ao seu bebé.

Acessórios para passear

Esta regra é aplicável também a muitos acessórios de crianças, como carrinhos de passeio, alcofas ou cadeirinhas de carro. Não se estragam ou deixam de estar na moda, mas rapidamente se tornam demasiado pequenos e sem utilidade. Por isso, antes de comprar tudo novo para passado uns meses deixar de ter uso, opte por um destes acessórios em segunda mão.

A Baby Loop que já aqui demos a conhecer, poderá ter aquilo que procura, não só a um preço mais acessível, como também com menor pegada ambiental, pois estará a prolongar a vida a um acessório em perfeitas condições.  

Acessórios para as refeições

Quando chega a fase de sentar o bebé à mesa, um prato, uma colher e um biberon de água são suficientes. Claro que nesta fase sujidade é o que não vai faltar, por isso, para poupar a roupa a mais lavagens, experimente babetes com mangas.

Pode também optar pelos de silicone com um bolso fundo que permitem apanhar a comida que cai. Estes babetes são facilmente laváveis, passando por água no final da refeição ou colocando-os na máquina da loiça.

Os pratos com formas de animais podem ser uma tentação, mas não são muito práticos. Se puder, escolha pratos com ventosa por baixo, para aderir à mesa ou ao tabuleiro e evitar que voem durante ou depois da refeição. Na ecological kids pode encontrar algumas destas soluções mais amigas do ambiente.

Brinquedos

Quando se fala em bebés e crianças, brinquedos é outra das ideias que nos vem logo à memória. Também nesta área é possível ser mais sustentável. Muitas vezes as crianças precisam de tempo e espaço para brincar e não de mais brinquedos. Por isso, reduzir na compra, trocar com outras crianças, amigos e familiares, por exemplo, ou comprar em segunda mão podem ser as escolhas mais amigas do ambiente e da carteira. Um bom local para procurar brinquedos em segunda mão é numa loja Kid to Kid. Há diversas espalhadas um pouco por todo o país. Nestes espaços pode entregar aquilo que tem em bom estado, mas que já não usa e levar aquilo que no momento lhe faz mais falta.

Reduzir, reutilizar e reciclar fazem de qualquer fase da vida um momento mais consciente e mais sustentável.